“sade em sodoma” no teatro do SESI arapiraca

Arapiraca abre as portas do teatro do SESI para receber a peça Sade em Sodoma. Raras vezes vemos em nossos teatros algo que fuja de espetáculos de besteirol ou paixão de Cristo. Essa é uma ótima oportunidade para ver e prestigiar o grande teatro, uma espetáculo para fazer pensar e se emocionar. Em cena, o soldado Mathieu (Tárik Puggina) é contratado como guarda-costas de um nobre. Ele narra ao marquês os acontecimentos dos últimos quatro meses. A descrição dos desregramentos ali ocorridos envolve antigas cafetinas, que auxiliaram na criação dos climas de cada um dos 120 dias. O zeloso criado sugere que ele ouça também uma das cafetinas, Madame Duclos (Guta Stresser).

sade1

O texto é direcionado ao Marquês de Sade, para quem as duas personagens Mathieu e Madame Duclos narrem a história. “A montagem é extremamente elegante, requintada e com tudo que o texto imprime: selvageria, prazer através do sexo, crime, violência e escatologia que representa através da comida. A construção dramática da orgia vem pela comida", antecipa o diretor.

sade2

Autor do texto original de "Sade em Sodoma" (de 2008), Flávio Braga afirma que o marquês de Sade é tão atual quanto os massacres que, regularmente, são praticados em pontos obscuros do planeta, e completa: "A matéria prima de Sade são as vísceras da tragédia humana, quando o campo de batalha é o corpo. Seja o corpo étnico, seja o corpo amado, seja o corpo do inimigo. Os conflitos de todas as nacionalidades terminam na questão central, que é o corpo. Sade antecipou, em seu "120 dias de Sodoma", tanto Treblinka quanto Kosovo, tanto Stálin quanto Bush e Putin. Os personagens de Sade defendem a natureza do mal. Sem desculpas étnicas como os nazistas, sem a defesa de dogmas, como a Santa Inquisição e sem a desculpa ideológica, como os genocidas da atualidade. Simone de Beauvoir perguntou: devemos queimar Sade?".

sade3

O ator Tárik Puggina foi quem teve a ideia de levar a novela para os palcos: "Assim que comecei a ler a novela do Flávio Braga, percebi que eu tinha em minhas mãos uma obra de rara qualidade. E que, muito embora não tenha sido escrita para os palcos, projetava imagens lindas em minha mente, como se teatro fosse. Imagens fortes, de grande beleza, que na sua crueza, como é a vida, ecoavam e pediam para serem libertas."

Classificação: 18 anos
Duração: 60 minutos
Quando: 26 e 27 de Janeiro ás 20h
Onde: Teatro do SESI Arapiraca
Informações: (82) 3325-2373
“sade em sodoma” no teatro do SESI arapiraca “sade em sodoma” no teatro do SESI arapiraca Reviewed by davy sales on segunda-feira, janeiro 16, 2012 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.