cinco coisas que odeio em arapiraca


Cada cidade cria para si uma espécie de traço distintivo, um jeito, uma atmosfera. Aqui pretendo explorar os traços que entendo como negativos. O negativo, no entanto, é apenas um ponto de partida cujo fôlego é a busca por reinventar essa cidade.

1. Em qualquer bairro que more haverá sempre um vizinho ou alguém na vizinhança que ligará o som da casa, e do carro equipado com som que vibra os móveis das casas no entorno. Qualquer feriado é motivo de som alto. Exercícios de silêncio ou música leve parece soar mal por aqui.
2. Apesar de ter teatros, não tem agenda permanente. A cidade tem público para o teatro e apesar disso raros são os espetáculos em cartaz. Os espaços são subutilizados apesar de haver grande público à espera das cortinas voltarem a abrir.
3. Não tem um mirante para o lago no Cavaco nem na Serra das Microondas. A topografia da cidade deu apenas poucos espaços de onde é possível sentar para apreciar uma paisagem. Inacreditável que a Câmara nem a Prefeitura jamais tenham proposto a construção desse equipamento público, de lazer e turismo.
4. O transporte público é insuficiente e de baixa qualidade. Numa cidade que possui uma população flutuante, durante o decorrer de um dia, algo entre 300 e 350 mil pessoas circulando pela cidade. Essa circulação dá-se preferencialmente de motos e carros, pedestres são maioria. E a frota como suas rotas são incapazes de gerir esse fluxo.
5. A elite local é essencialmente cafona, sem educação formal. Herdeira das plantações de fumo e das grandes bancas das antigas segundas-feiras.
cinco coisas que odeio em arapiraca cinco coisas que odeio em arapiraca Reviewed by davy sales on terça-feira, junho 14, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.