A disputa pela cadeira do executivo arapiraquense começou


A força dessa cidade atrai pessoas, empresas e novos empreendimentos, o que é notável na paisagem é o processo de verticalização com o surgimento dos primeiros edifícios comerciais e residenciais, além de algumas dezenas de conjuntos residenciais que têm exigido a ampliação do perímetro urbano, fenômeno que começamos a observar quando alguns sítios estão a meio caminho de tornarem-se novos bairros. A imprensa não cansa de festejar a importância de Arapiraca como polo regional que possibilitou a criação da Região Metropolitana do Agreste. O IBGE estima uma população de 231.053 habitantes em 2015, sendo o maior núcleo urbano depois da capital. Assim, o tamanho do nosso colégio eleitoral é fundamental nos cálculos da política alagoana. E isso fica claro com a movimentação de deputados, senadores e governadores participando do desenho das candidaturas que devem concorrer nas próximas eleições ao executivo municipal. Temos uma tradição de perpetuar grupos muito fechados no poder, e a representação popular anda sempre de carona nesses cenários dos donos da vida política.

As duas últimas décadas, que se confundem com o crescimento da cidade, e de sua importância regional, foram governadas por Luciano Barbosa e Célia Rocha. No cenário atual aparecem Yale Fernandes, Rogério Teófilo e Tarcizo Freire. O apoio do Ricardo Nezinho para uma candidatura de Célia Rocha é reedição das últimas eleições, não parece prover um horizonte novo, de um projeto novo de cidade. O Yale Fernandes daria oxigênio nessa candidatura nascida do cansaço de alguém que já esteve por quatro vezes na cadeira do executivo municipal.

O Yale Fernandes representa o projeto de Luciano e Célia que transformou a cidade num oásis de prosperidade no interior alagoano. Obviamente nem tudo são flores, há falhas gritantes (transporte público ineficiente e bolsões de pobreza na periferia) embora o quadro geral seja positivo e abonador para uma boa candidatura. Como prefeito interino hoje ele tem mostrado grande habilidade no enfrentamento e solução aos problemas da cidade, a meia boca ouvimos as pessoas dizerem que ele é um bom prefeito. E isso deve contar muito no próximo pleito.

O Rogério Teófilo é um político com pouca presença na cidade, apesar de a família Teófilo ser bem conhecida por aqui. Rogério não construiu a imagem de um político de Arapiraca, no imaginário ele estaria mais próximo da imagem de deputado da capital. Isso lhe dá pouco espaço para ser uma candidatura com grandes chances de vencer. O apoio do Rodrigo Cunha à sua candidatura poderia trazer o Rogério para o cenário local, mais arapiraquense. Cunha tem grande prestígio entre os arapiraquenses, o que em certo horizonte pareceria mais viável uma candidatura do Cunha a do Teófilo.

O Tarcizo Freire representa a antiga política local, mergulhado nos antigos desenhos de representação política desde quando foi vereador na cidade. Fez oposição à Célia Rocha e construiu sua imagem entre o opositor e o situacionista, beirando ao populismo. Tarcizo lembra a todo instante aquela fome de poder sem que haja um projeto claro de cidade. Soa muito ao desejo de trono para si. Isso não parece com uma candidatura poderosa. O apoio do deputado Severino Pessoa deve oferecer fôlego para um candidato que tem uma imagem difícil para pensar um projeto para a cidade.


O apoio dos deputados e senadores em nossa disputa eleitoral têm o lado bom, que remete ao grau de importância que nossa cidade revela, embora a presença destes também nos acenda o alarme da captura do poder local pelo poder estadual. Um candidato não pode ser a extensão dos apoios que recebe, deve ele projetar anseios populares, da agenda local, do compromisso com o povo daqui. No xadrez das candidaturas que se anunciam, e dos apoios recebidos, é preciso sempre dar atenção ao que o povo pensa sobre as antigas coligações. Que não se ache que basta o poderoso deputado lhe dar a mão pois no dia do voto os afetos e sensibilidades para com a política faz contas que as coligações não imaginavam. De uma coisa estamos certos, essa será uma eleição decisiva que promete promover a cidade ao seu lugar de destaque merecido: uma cidade viva, pungente e forte.
A disputa pela cadeira do executivo arapiraquense começou A disputa pela cadeira do executivo arapiraquense começou Reviewed by davy sales on segunda-feira, março 21, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.