ode à arapiraca

DSCF1110Ela nasceu vingada entre uma grande feira-livre às segundas e suas imensas plantações de fumo. Foi a feira e também o fumo que fez os primeiros ricos da cidade. Cidade-entroncamento desde seus primórdios no alvorecer dos anos 30, hoje encantador polo para onde convergem interesses de riqueza, bem-estar e futuro. Na média das cidades nordestinas, Arapiraca já pousa entre as maiores e mais ricas. Quem circula pelo interior alagoano e aqui passa, fica impressionado com nosso tamanho, peso. Essa cidade está com seu fôlego à mil e é uma alegria poder ver e acompanhar diariamente as transformações por que passa.

DavySales011A cidade ainda não parou de comemorar a inauguração do shopping center, com suas salas de cinema, restaurantes e lojas. As noites da cidade estão mais animadas embora nos faltem espaços de lazer noturno, novos sopros de urbanidade e devir madrugal. O costume de ver um filme no cinema, comer fora, sair na noite estão aos poucos sendo alimentados. O burburinho do shopping deu fôlego ao ar médio-classista da cidade mas ainda faltam lugares para sair a noite: pouquíssimos bares que valem a visita e ausência de boites. Aliás a cidade está a espera de empresários que redescubram a magia das noites arapiraquenses, que abram casas aqui. As nossas noites de inverno são tão bonitas, frias, merecem uma menção honrosa.

DSCF0383Há três teatros embora não haja uma cena permanente, o que empobrece nosso lazer (nesse final de semana tivemos uma mostra de dança no sesi, assim, como novidade, esporadicamente). O campo do turismo de negócios acaba de receber o hotel Ibis, que está para ser inaugurado. Os adultos da cidade têm pouca opção de lazer, sem teatros, sem boites, sem shows, a cidade fica aquém da demanda por esses espaços e serviços. Tem crescido o número de opções de lazer gastronômico, com algumas lanchonetes de grife além de meia dúzia de novos restaurantes. Mas fica no ar a impressão de uma demanda enorme por esse tipo de serviço e pouquíssimas ofertas, é dizer, há muito dinheiro querendo ser gasto pela classe média mas não tem quem os receba. É de fato um campo em aberto.

DSCF0641A AL-220 sente o peso do shopping e seu estacionamento sempre cheio, sente também o aumento do tráfego após sua duplicação, região de hospitais, concessionarias, armazéns e conjuntos residenciais. Agora sabemos da construção de um centro de convenções e um aeroporto. Há poucas semanas a notícia que correu a cidade dava conta da chegada em breve de um campus do CESMAC e da Santa Casa de Misericórdia, que abrirá um hospital aqui. Dentro de dois ou três anos estaremos no auge dessa transformação, quando a maior parte dessas novas instituições estarão em pleno funcionamento, ampliando nossas forças e opções, elevando a cidade ao patamar de cidade polo de saúde e educação.

DSCF0715Como polo educacional podemos apontar o campus sede da UNEAL, o campus da UFAL, e uma dezena de faculdades privadas, além de unidades de várias universidades privadas do sul-sudeste. Nossa classe média cresceu duas vezes mais que a do sudeste na última década, nossa renda per capta aumentou 51% (entre 2008 e 2011), nossa frota de veículos cresceu na ordem de 36% no mesmo período, e além disso, nesse mesmo período mais de 2.500 pessoas deixaram o programa Bolsa Família por conta própria. Não é preciso muito esforço para observar que os sinais do crescimento estão por toda parte em Arapiraca, cidade sede da região metropolitana do agreste. Um gargalo muito deficitário da cidade continua a ser transporte público e a qualidade das vias públicas, caminhamos pouco e de maneira ineficiente nesse campo embora haja algumas ações apontando para a reengenharia da circulação de pessoas e veículos na cidade.

DSCF0388Nesta cidade que vive um momento ímpar em sua história, com ares de modernização e ampliação de sua parca infra-estrutura pública, um boom imobiliário, industrial e educacional têm ajudado no crescimento de sua economia e ampliação do bem-estar. Não significa que não haja pobreza na cidade, mas a comunidade começa a mudar de horizonte, ampliando suas fronteiras espaciais e sua importância regional, até então aquém de oferecer sustento ao desenvolvimento local. Nosso maior desafio é crescer com equidade, e nisso ainda precisamos caminhar bastante, apesar de os índices como IDH nos classificar hoje como cidade de médio desenvolvimento humano, tirando-nos dos bolsões de pobreza aonde tantas cidades ainda vivem. A escolarização crescente dos cidadãos e cidadãs nos dá a garantia de uma cidade que pretende avançar em direção a um estatuto de bem-viver amplo, universalizado.

DSCF0818O pequeno distrito industrial está sem espaço para receber novas empresas, que já começam a sitiar áreas da zona rural ao lado de rodovias numa mostra clara da expansão industrial e de serviços, por ser Arapiraca localizada no centro geográfico de Alagoas, várias distribuidoras estão chegando para ficar por aqui, por estratégia e logística, nada mais vantajoso que manter em Arapiraca um ponto-porto de apoio vantajoso. A cidade é vista como um polo logístico que os empresários já não querem desprezar. Um dos problemas mais graves “era” o abastecimento de água. Um distrito moveleiro foi entregue na AL-220 e há dezenas de empresas que chegaram na mesma AL após a sua duplicação. Aliás, há novos empreendimentos imobiliários que estão transformando a paisagem rural da região do campus da UFAL e a cidade, as fronteiras entre o urbano e o rural nunca estiveram tão esticadas e sobrepostas.

DSCF1104

Assim, imaginem o impacto positivo que a inauguração da nova adutora do Agreste, ocorrida ontem, já nos deu quando entrou em operação. Bom, não está faltando água agora enquanto escrevo, e parece que não preciso mais me preocupar com a água na torneira. A capacidade de abastecimento acaba de ser duplicada e deve garantir água na região capaz de trazer investimentos e crescimento na cidade. O principal ganho é acesso à água potável universalizado, na outra ponta eleva as garantias de manutenção do atual ciclo econômico. A água também deve propiciar a verticalização que tomou força nos dois últimos anos porque a atual expansão horizontal eleva os custos dos serviços públicos (iluminação pública, coleta de lixo, transporte, etc) sendo mais fácil concentrar o crescimento vertical para um atendimento mais racional dos recursos.

ode à arapiraca ode à arapiraca Reviewed by davy sales on segunda-feira, agosto 11, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.