juiz evangélico agride o candomblé

Tem que proibir magistrado evangélico para a cidadania ser fortalecida? Acho que não, mas a intolerância jurídica, a burrice e a ignorância magistral tem maculado a isonomia das decisões. Tribunais comandados por magistraturas inaptas em ciência e civilidade dá ao direito seu lugar indesejado, a lata de lixo, o lixo da história. Não é preciso lembrar de ciências que se voltaram a estudar o fenômeno religioso ha mais de um século, como a filosofia, a antropologia e a sociologia. E ainda há juiz para negar o estatuto de religião ao povo do candomblé (a ignorância deste propõe religião um vínculo ao surgimento da escrita, como se povos de tradições orais estivessem impedidos de forjar deuses e rituais de veneração religiosa). O juiz evangélico, nesse caso, é uma aberração jurídica e uma violência exemplar. Só há direito grande quando magistrados fazem observar os saberes consensuais não as opiniões dos seus próprios quintais. Vida longa ao Candomblé, aos terreiros, aos filhos, filhas, mães e pais-de-santo! Axé!

juiz evangélico agride o candomblé juiz evangélico agride o candomblé Reviewed by davy sales on sábado, maio 17, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.