notas sobre eleições, teatro e educação

Até as 8h desta terça o TSE não havia ainda publicado as candidaturas para as eleições 2012 em Arapiraca. O AgresteNews acompanhará de perto o desenrolar do pleito procurando criticar o processo com procura de isenção  sobre os fatos que possam esclarecer aos eleitores as melhores opções de votos para o bem de toda a cidade. Estamos monitorando tudo sobre as eleições. Então aguardem aqui as novidades. Estamos interessados no projeto de cidade não apenas nos entes que se propõem a sentar na cadeira do executivo ou legislativo. Precisamos saber o que propõem para os problemas da cidade;

O SESC Arapiraca está a apresentar o Palco Giratório 2012. Ontem aconteceu a oficina “As Qualidades Do Movimento Humano” com Hilda Nascimento. Hoje, terça (10/07), as 20h, haverá espetáculo teatral gratuito para os arapiraquenses, trata-se do “Pólvora e Poesia” sobre um confronto entre a razão, a paixão e a vida desregrada de dois poetas transformadores de seu tempo - Arthur Rimbaud e Paul Verlaine. Rimbaud, um poeta rebelde, de ideologias que fervilham originalidade e personalidade, esfacela a todo instante o discurso socialmente arranjado de Verlaine. O espetáculo vem em boa hora visto o crescimento da homofobia entre nós;

A notícia da inauguração do Teatro CBC pareceu uma das melhores coisas que poderia acontecer neste outubro se não fosse a evidente manipulação eleitoreira. O quase-teatro está lá parado desde a última década, desprezado, escuro, inacabado. Bastou Teófilo candidatar-se à prefeitura que uma faixa foi colocada no jardim avisando sua inauguração vindoura. Que o teatro venha, pois nos é uma dádiva honrosa mas é triste saber que a casa estava a espera de nada, pois se mais de uma década foi abandonado, reaparece agora em véspera de eleição para inaugurá-lo. O jogo da política não nos surpreende, o velho teatro de cartas marcadas;

Nos últimos dias a Uneal recebeu a doação de terreno nas margens do lago da Perucaba para a construção de seu novo campus. A universidade está sucateada, com um quadro de pequeno quadro de professores efetivos e boa parte contratados, e instaveis, com pouco espaço para respirar. O governador ainda não anunciou concurso público e mantém uma prática de não investimento na universidade. A falta de concurso obriga algumas disciplinas serem ofertadas por professores sem qualificação na área, desensinando (exemplo: antropologia jurídica oferecida por professor de linguística – os colegas linguístas não tem formação em antropologia logo suas aulas são fantasias ou aproximações – seria como colocar advogado para ensinar anatomia em medicina, ou psicólogo para ensinar matemática).  A uneal subutiliza seus mestres e doutores, ao invés de potencializá-los, pulveriza-os. Se estão nas disciplinas fora de suas áreas, veremos a qualidade do ensino despencar, isso só pode se dar num ambiente de fragilidade institucional e pedagógica, onde vale qualquer coisa para fazer de conta que a universidade funciona.

A UFAL está parada por causa dos problemas de segurança no campusl que divide espaço com um presídio onde fugas são constantes. O curso de Medicina foi anunciado para o próximo ano, e já há uma dúzia de cursos de especialização. Duas novas especializações, excelentes por sinal, na área de cidadania, diversidade e gênero são bons exemplos de que a UFAL nos promete um futuro promissor. É um espelho para as academias em funcionamento aqui. A UFAL já possui graduação, especialização e mestrado em processo de abertura, não tardará para que nosso campus receba um programa de doutoramento. As possibilidades são muito boas e a universidade já se coloca como o melhor espaço de educação nessas paragens agrestes;

As faculdades privadas voltarão do recesso na próxima semana sem mudanças visíveis em suas frágeis estruturas, currículos de ensino e atividades acadêmicas. É uma pena que as faculdades sejam pensadas mais como espaços de lucros e evidente vulnerabilidade na qualidade da formação dos alunos. Devem assumir responsabilidade de educar para não estacionar seus processos em torno de mensalidades e eventos acadêmicos fabricado por lucro, ou turma que promove seminário para arrecadar dinheiro para a formatura – há pouca preocupação com o sentido profundo daquela reunião. A educação é frágil nesses espaços, ainda que hajam bons professores, com formação adequada, e parte do alunado com interesse coerente com sua formação. A estrutura é que deve ser repensada. Quem comanda a alma dos hospitais são os médicos: os professores deveriam ser a alma das faculdades e não a presença administrativa dos lucros.

notas sobre eleições, teatro e educação notas sobre eleições, teatro e educação Reviewed by davy sales on terça-feira, julho 10, 2012 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.