arapiraca pouco educada: algumas notas

Numa cidade como Arapiraca, que hoje vive uma enorme movimentação em torno de seu desenvolvimento e bem-estar dos cidadãos e cidadãs, o nível de escolaridade ainda é extremamente baixo. Isso reflete na nossa capacidade de articulação e movimentação para estabelecer um presente necessário e um futuro promissor.

Pelo menos metade da cidade não terminou o ensino fundamental (ciclo que vai da alfabetização ao nono ano) o que colabora para termos pouca força política e crítica sobre o destino da cidade, pensada quase sempre nas salas fechadas da Prefeitura e da Câmara. Se a maioria dos cidadãos não atingiram o ensino fundamental, significa que são semi-alfabetizados e com dificuldades para entender seus direitos à cidade e ao bem-estar. Nossa taxa de analfabetismo gira em torno de 22% (o que nos parece uma aberração, quando observamos que a cidade ganha prêmios pelo primor com sua educação infantil, notadamente a ampliação do número de escolas de tempo integral).

arapiraca2010educação

É preciso que a Prefeitura atinja de maneira mais direta os 22% de analfabetos adultos e procure dar condições da maioria da nossa população de voltar a frequentar a escola para terminar o ensino fundamental. Educação é um bem inestimável e é necessário um projeto coletivo de empenho para nos tirar dos grilhões da deseducação. Uma população educada traz mais riqueza e felicidade para a comunidade. Se a cidade está a todo gás, imaginemos se fôssemos uma cidade com baixo nível de analfabetos e com média de escolaridade de pelo menos o ensino fundamental, já estaríamos em outro patamar, o das cidades desenvolvidas e com futuro promissor.

arapiraca2010trabalho

Ao cruzar os dados sobre escolaridade e trabalho, vemos que há uma dissociação: apesar dos baixos índices de educação formal o tamanho da população desocupada é bem pequeno, visto que quase 92% da população economicamente ativa está trabalhando. Esse dado nos mostra que se a maioria dos cidadãos não concluiu o ensino fundamental e está trabalhando, também significa dizer que estão em trabalhos que não exige muitas habilidades técnicas ou científicas, é dizer, estão em ocupações de baixa remuneração. É sabido que quanto mais educação formal mais as posições ocupadas são em funções cada vez mais complexas e, em tese, com remuneração mais alta.

E nesse caso vemos que em 2010 pouco mais de 7 mil pessoas em Arapiraca possuíam um título de ensino superior completo. Se fizermos uma conta aproximada, entendendo que a UFAL com 14 graduações diploma anualmente cerca de 700 alunos, o IESC com três graduações diploma cerca de 200 alunos, o CESAMA com uma graduação diploma cerca de 80, o CESMAC com duas graduações diploma cerca de 60 alunos anualmente. O que nos dá um número aproximado de 1.040 novos titulados. Acrescente-se à esse número as faculdades com polos não presenciais que estão diplomando em torno de 400 alunos. A UNEAL, com 13 graduações, diploma em torno de 700 alunos. Para fechar essa conta aproximada, temos um número equivalente a 2.140 novos cidadãos e cidadãs com diploma de nível superior, a cada ano, em Arapiraca.

Isso corresponderia a mais ou menos 10.000 pessoas hoje em Arapiraca com diploma de nível superior. É uma taxa ainda muito baixa, dado o crescimento econômico da cidade, o que demanda crescentemente por pessoas com qualificação superior para exercer as funções-chave nas empresas e instituições. 10 mil pessoas é menos de 5% da nossa população mas esse número está em franco crescimento com a chegada da UFAL, das várias faculdades não presenciais, da UNEAL, das faculdades privadas presenciais, além do IFAL que no próximo ano deve abrir vagas para curso superior. A cidade começou a descobrir as virtudes da educação superior e a demanda tem crescido, para o bem da nossa cidade. Os cursinhos pré-vestibular estão lotados de jovens e adultos que sonham em entrar no ensino superior, e muitos homens e mulheres adultos voltaram as bancas da universidade.

Precisamos trazer a população analfabeta e a população sem o ensino fundamental completo de volta à escola para que fechemos esse saudável ciclo de escolarização universal entre nós. Uma Arapiraca mais educada, é certamente uma Arapiraca mais rica e estável, uma cidade com horizonte de futuro e de bem-estar. Precisamos revolucionar nossa educação em todos os níveis, precisamos enfrentar nossas deficiências e manter nossa nova demanda por educação superior em bom termo.

arapiraca pouco educada: algumas notas arapiraca pouco educada: algumas notas Reviewed by davy sales on sexta-feira, junho 15, 2012 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.