notas para os dias que ainda virão

Dirigindo pelas ruas da cidade aprendí a levar sempre uma sacola para lixo no carro de tanto observar gente com carro de 50 mil jogando copo de sorvete pela janela na avenida rio branco, lata de refrigerante na são francisco e garrafa de água na avenida norte. Se pretendemos ser uma civilidade, é bom começar a parar com o costume de tocar o som do carro no último volume às três da manhã passando pelos bairros, sem se incomodar com o sono da vizinhança.


Os nomes para as eleições municipais de 2012 já movimentam a cena local. Mais vou demorar mais um pouco para analisar o cenário para o próximo outubro. Uma deputada em ascensão e um secretário estadual sinalizaram suas candidaturas. As apostas começaram. Virá um terceiro nome?


Falta apoio e iniciativa para o lazer e turismo. Mas algumas mudanças estão aí: o lazer ganhou quatro espaços muito interessantes: a área verde, o parque ceci cunha, o lago da perucaba e o bosque das arapiracas. Dois teatros (SESC e SESI) estão a plenos pulmões (os grupos locais precisam de apoio para deixarem a infância). Hoteis? todos em funcionamento na cidade são de padrão simples. Quando virá um três estrelas? Não há cinema. Não há boate. Apenas uma livraria para toda a cidade. No campo do apoio à cultura popular já avançamos muito.


O transporte público é um problema sempre relegado a nenhum plano. Ou há, pois falou-se em metrô. A realidade é bem longe do metrô. Mototaxis para mulheres grávidas, velhos e crianças. O perigo ronda esse desleixo público em oferecer política de transporte urbano. Ônibus precários, de segunda mão, são a frota que atende a pouquíssimas áreas da cidade. Até que enfim há pouco obrigou-se taxis ao uso do taxímetro. Não há saídas para quem passou das dez da noite em Arapiraca, apenas moto/taxis;

notas para os dias que ainda virão notas para os dias que ainda virão Reviewed by davy sales on segunda-feira, fevereiro 06, 2012 Rating: 5

Um comentário:

Cárlisson Galdino disse...

O desleixo das pessoas é grande. Sobre programação cultural, sinto falta de um local prático para consultar informações a respeito (incluindo os dois teatros, que nunca mais visitei).

O transporte público é mesmo um probema. Mototáxi é a gambiarra do transporte público, porque "resolve" a conexão de quaisquer dois pontos da cidade, porém a preço de desconforto, riscos e de valores bem mais altos que os de coletivos.

[]s

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.