chegou o tempo de arapiraca

Diz o velho preconceito esteriotipado sobre as cidades nordestinas, que estas seriam comunidades paupérrimas, atrasadas e com populações de analfabetos e famintos. Não é preciso dizer que o exagero da imagem resultou em muitas distorções sobre a região. Arapiraca, em alguma medida, pode servir de exemplo de que sabe-se muito pouco sobre as metropoles nordestinas, principalmente as do interior, como Feira de Santana, Arapiraca, Caruaru, Campina Grande, Mossoró ou Imperatriz. Estas cidades tem suas próprias peculiaridades, mas em comum o vertiginoso crescimento que sustentam. A foto abaixo é do parque Ceci Cunha, cartão postal da cidade e em processo de expansão para tornar-se o pulmão verde da cidade. Os índices de urbanidade e de qualidade de vida tem melhorado muito por aqui. No centro do agreste alagoano, com temperaturas amenas, o parque tem mostrado claramente que nossas cidades são viáveis e que podem unir a beleza estética do espaço com a necessidade de suporte a grande circulação de pessoas e automóveis.

parquececicunha2011-horz

Este blog sempre se caracterizou como uma homenagem para Arapiraca. Então já escrevi muitos posts (basta procurar nos índices) sobre o advento e a consolidação da nova Arapiraca. A cidade está a assistir um longo período de crescimento econômico e social. É como se a década de 90 tivesse sido o ponta-pé inicial para dar a esta cidade o título de região metropolitana do agreste (RMA). Vemos crescentemente o surgimento de empreendimentos imobiliários (como na foto abaixo), investimentos na geração de energia elétrica e fornecimento de água, da chegada de novos negócios – de bares até a mineradoras. Some-se à isso um boom na construção civil, redesenhando a paisagem urbana. O lago do Perucaba, na foto abaixo, mostra como a cidade está a se expandir para todos os lados, a enorme mancha branca na parte superior da foto é um novo bairro surgindo (cazuzinhas), tanto quanto prédios de apartamentos (na parte de baixo da foto) na região do Baixão conhecida como Poço Frio. Pois bem, Poço Frio e Vale das Águas (atual Zélia Barbosa) estão em rápido processo de urbanização, e a chegada da pequena classe média na região.

novaarapiraca2011_2

De modo que pensar hoje esta cidade, é se debater com amplas possibilidades de afirmação. Trata-se de uma cidade de 215 mil habitantes (600 mil na RMA) que está em processo de atração continua de pessoas e negócios. A cidade já conta com duas universidades e uma dezena de faculdades privadas, o que já seria possível desenhá-la como uma cidade universitária. Entretanto, o comércio tem força de cidade média, uma vasta rede bancária, instituições jurídicas, amplo número de hospitais e clínicas e uma crescente rede de serviços de lazer, este ainda bem devagar. A rede hoteleira local continua muito primária, não havendo sequer um leito disponível para a categoria 3, 4 ou 5 estrelas. O problema mais grave que a cidade enfrenta é o fraco investimento do Estado de Alagoas na região, um exemplo é o processo de duplicação de 6km da AL220 que já se arrasta desde 2010.

chegou o tempo de arapiraca chegou o tempo de arapiraca Reviewed by davy sales on terça-feira, agosto 09, 2011 Rating: 5

2 comentários:

Anônimo disse...

A visão da maioria dos governos é investir na capital, esquecendo de cidades importantes no interior do Estado. Aqui em Londrina acontece o mesmo, Curitiba é vista com outros olhos, e fica com quase 50% dos investimentos em infra-estrutura!
Em Arapiraca não é diferente, soma-se a isso a questão da politicagem, onde o prefeito e o governador são de partidos diferentes...
Mas, independente destas questões ideológicas, Arapiraca continua a crescer e se desenvolver.
Parabéns a todos vocês que fazem de Arapiraca uma das melhores cidades do Nordeste.

Há Lagoas

Anônimo disse...

E o VLT prometido pelo prefeito?
Até agora nada, estamos de olho, essa obra será muito importante para Arapiraca, principalmente porque não temos um transporte descente!

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.