se for ao teatro, não me chame

TheaterLead-570 O teatro é para a alma

Até quando teremos que assistir nos palcos arapiraquenses o teatro besteirol? Nos anos 90 a trupe do Jeison Wallace com sua Cinderela deu o tom picante e engraçado com textos com um humor, digamos, rasgado. Mas Cinderela de JW foi um mito. Cinderela era a extravagância e o humor em dose certa. Depois da Cinderela vários grupos moveram-se nesse ambiente do besteirol, repetindo as mesmas nuanças das falas, vestuário e personagens. Cinderela foi um marco, o resto cheira a plágio. O que incomoda é observar que passamos os últimos dez anos recebendo os grupos do teatro besteirol. Uma farra de humor feito por homens travestidos, mas com uma performance aquém do Jeison Wallace. Estamos cansados de ver e rever, ano após ano, as mesmas estorinhas mascaradas de novidades. O teatro denso já nos visitou, mas cá é coisa rara. É lamentável que o teatro entre nós tenha se tornado sinônimo de patifaria, do humor barato. Os grupos teatrais que trazem besteirol sempre terão público por aqui, o problema é que a agenda dos nossos teatros se repetem nesse estilo como se o teatro não pudesse ser uma arma para reanimar, refazer e reafirmar o homem e sua humanidade. Onde está o drama, a tragédia, a política e a filosofia em nosso teatro? Queremos a comédia. Queremos também outros teatros possíveis. É ruim ir ao teatro para ver mais do mesmo..

se for ao teatro, não me chame se for ao teatro, não me chame Reviewed by davy sales on terça-feira, janeiro 11, 2011 Rating: 5

Um comentário:

Paulo disse...

Professor estava realmente precisando ler um artigo que falasse sobre as peças teatrais aqui em Arapiraca. AJá tinha observado isso.É lamentável.Eu nunca fui, justamente, por achar besteirol puro. Chega de rommeeuu e julieita, de eva e adão.

Parabéns pelo artigo.

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.