hipocrisia, demagogia e outros pecados

Em 1979 foi nomeado prefeito biônico pelo regime militar fascista, sem voto do povo. E aceitou. Renunciou, como lhe é de praxe, em 1982. Em 1986 foi “eleito” governador de Alagoas. Adora não trabalhar, só no primeiro ano de mandato, viajou 90 vezes (agora como “senador”, ao chegar, já pediu licença de mais de 100 dias). Você lembra como foram os dias de sua “jestão” como governador na década de 80? Foi um tempo difícil: deixou o funcionalismo público com o pires na mão. Intransigente, “governava” contra tudo e todos, não respeitando as instituições. Foi um coronel arcaico com sede de poder (desejava derrubar Sarney a todo custo). Ao ocupar o cargo de governador do estado de Alagoas fizera um acordo com os usineiros locais fornecendo subsídios tributários por uma década. Em decorrência desse ato os usineiros, que eram responsáveis pela arrecadação de 63% de toda a carga tributária do estado, passaram a contribuir com apenas 3%. Collor_malvadoIsto é que é governar contra o povo. Quando foi governador de Alagoas, viu-se ameaçado por uma intervenção federal e por um pedido de impeachment por causa de sua desastrosa incapacidade de cuidar da coisa pública, feito à base de demissões de funcionários públicos e extinção de cargos, órgãos e empresas públicas (fechou a secretaria de cultura pois afirmava que Alagoas era terra para perpetuar a pobreza, não para incentivar tradições culturais). Caçador de marajás? Ele mente! Pois leia o que Conti diz em Notícias do Planalto, que quando era governador de alagoas e mantinha o disfarce de caçador “buscava o cenário nacional com a cartada mobilizadora, no plano estadual Collor jogava uma partida arriscada. A liminar que obtivera do Supremo Tribunal Federal suspendia o pagamento de privilégios salariais aos desembargadores do Tribunal de Justiça. Para evitar atritos jurídicos, o governador autorizou que se pagassem na íntegra os salários dos desembargadores, com a condição de que não divulgassem o acordo”. Quer dizer, ele mentiu para os alagoanos. Fez um acordo nas costas dos seus eleitores. Riu de todos os que confiaram em sua palavra. Com hipocrisia e demagogia se comanda um vasto curral chamado Alagoas. As oligarquias nordestinas ainda tem legitimidade porque os alagoanos estão acostumados a serem pequenos.

hipocrisia, demagogia e outros pecados hipocrisia, demagogia e outros pecados Reviewed by davy sales on quinta-feira, julho 01, 2010 Rating: 5

Um comentário:

Klinger disse...

...infelizmente em Alagoas ainda existem cidadãos que confundem político com pop star, confundem político com homem santo entre outros. Enquanto essa mentalidade continuar a existir, muitos corruptos vão continuar a se eleger, empurrando Alagoas ao topo da pobreza, do baixo desenvolvimento, onde nós não merecemos está...

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.