síndrome do trinta de outubro

A cidade vive um momento ímpar. Nos últimos anos, surgiram a uneal e a ufal. Veio o Cesmac, então chegaram Cesama e Iesc. Outras faculdades também tem por aqui se instalado. A última notícia é da vinda do cefet (ifal). Esse pólo educacional tem redesenhado o desejo de milhares de estudantes, que agora por aqui circulam diuturnamente. Nunca se viu tantas pessoas de fora utilizando a cidade a noite, muitos viajam diariamente de suas cidades até Arapiraca. Á esse fluxo soma-se a crescente demanda local por educação superior. Arapiraquenses de todas as idades estão indo à faculdade.

Várias instituições estaduais e federais chegaram ao Centro Administrativo, onde fica a Prefeitura. Assim como no campo da educação superior, os usuários dos serviços provém de todo o interior, somando novos fluxos que movimentam pessoas e demandam por serviços secundários, dando energia a um polo jurídico regional e a economia local. O mercado imobiliário cresceu muito, parente direto dos esforços federais no campo da moradia popular. Atualmente vê-se centenas de novas construções, de casas e apartamentos. A movimentação da cidade tem trazido muita gente que fica por aqui, para morar. Os aluguéis estão inflados, tão caros quanto na capital. Há uma demanda crescente por novas unidades habitacionais.

DSC04093Todo 30 de Outubro, quando se comemora a emancipação política da cidade, há uma lista de inaugurações. Ano após ano festas para comemorar a aposição de paralepípedos em ruas de barro. Uma praça na periferia. Neste temos a “assinatura” para a construção de um pier no lago da perucaba. Não se sabe como nem porque tantas ruas cronometram suas obras para serem inauguradas durante o trinta de outubro. Passamos um ano inteiro sem obras de viação, mas basta vislumbrar a proximidade da emancipação política que várias ruas recebem pavimentação.

DSC04094Acordamos sempre no 30 de Outubro, com suas missas, hasteamento de bandeiras, desfile cívico e as “inaugurações”. Bastou outubro se anunciar que há duas semanas a smtt “pinta o asfasto”. As faixas das vias estão sendo pintadas, mas o asfalto esburacado continua lá. Todo 30 de Outubro a prefeitura age como se fosse a última oportunidade de visibilidade, “inventando” inaugurações que são, a bem da verdade, trechos inacabados de obras necessárias.

DSC03872A síndrome de 30 de Outubro acomete as autoridades locais, obrigando a prefeitura a listar uma dúzia de obras que nem sempre são o que dizem ser: o lago da perucaba, por exemplo, foi “inaugurado” mas apenas a primeira etapa, a maior parte de sua área continua degradada; o parque ceci cunha já teve duas “inaugurações” mas continua inacabado. As ruas da cidade são, em sua larga maioria, de barro crú: vamos esperar muitos 30 de Outubro para ver a cidade pavimentada.

síndrome do trinta de outubro síndrome do trinta de outubro Reviewed by davy sales on terça-feira, outubro 27, 2009 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.