passei no vestibular

Cresce o número de pessoas interessadas no ensino superior. O interesse mais imediato é a posse de um diploma, este seria meio de se mover e alcançar estratos sociais mais altos.

O problema é que uma proliferação de faculdades privadas concorre para o oferecimento de um “produto educacional” na prateleira do “mercado de educação”. Exemplo: para muitos alunos, é mais importante o preço da mensalidade do que a qualidade do ensino.

O problema é que o alunado não está indo à universidade em busca de transformação, de que pela educação se imponha um novo homem. Não. Estão indo apenas porque desejam isso ou aquilo do diploma.

As faculdades privadas (com raras excessões) são apenas espaço de reprodução de saber. Elas não fabricam ciência. Elas recortam e distribuem discursos de ciência.

Há até professores qualificados para a pesquisa, mas os contratos concentram-se em professor horista em sala de aula. Como não há espaço para a pesquisa do professor, não há alunos pesquisando, não há movimento intelectual, não há academia.

Não apenas o espaço privado precisa repensar sua atuação. A universidade pública estadual sofre com o descaso. A Uneal continuará sendo uma universidade sem ser. Ocorre que o orçamento da instituição não é cumprido pelo governo estadual. Então temos professores substitutos enquando o quadro fixo sai de cena. A pesquisa, sem verbas adequadas e pessoal qualificado para gerir projetos, têm pouco fôlego. A extensão é frágil.

Esse movimento de desqualificação da educação – mera coisa a ser trocada no mercado – precisa ser enfrentado. Tanto o Estado como a iniciativa privada precisam se transformar para atenderem ao pressuposto do ensino superior: ensino, pesquisa e extensão.

passei no vestibular passei no vestibular Reviewed by davy sales on sexta-feira, agosto 14, 2009 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.