a prefeitura de arapiraca contra a cultura local

Porque será que em tempos de "crise" a pasta da cultura é a primeira a sofrer? Fechou-se as portas para a cultura. A secretaria de cultura foi extinta: agora há um "departamento de cultura" na secretaria da educação, uma secretaria já esvaziada de proposições e recursos. Sem discussão, sem alternativas, sem vozes, sem democracia. Esvazia os sonhos de apoio cultural, por entender que a cultura é algo desprezível, ou menor, que cabe em migalhas ou sobras. Não é a toa que a cidade não possui cinema nem teatro.

Um homem só é homem por sua cultura. É ela que o mantém inteiro e lúcido. É através dela que sua identidade toma forma e conquista espaço. Sem a secretaria da cultura voltamos ao blá-blá-blá antigo: aquele que vê no investimento cultural um gasto "errado" ou "deslocado". Os gerentes da cidade desconhecem o povo e seu valor e, o povo, desconhece sua força e seu lugar. Sem cultura nosso povo se esvazia, vive para trabalhar, comer e dormir. Nessa reprodução de vida pequena: sem arte, sem alma, sem futuro.

O Brasil avança no apoio à cultura. Se a cidade mostrar interesse e projetos, há como engendrar frutíferos movimentos locais. Leia abaixo o Plano Nacional de Cultura e veja você mesmo que cada município pode apoiar a cultura popular:

Plano Nacional de Cultura
O Plano Nacional de Cultura tem por finalidade o planejamento e implementação de políticas públicas de longo prazo para a proteção e promoção da diversidade cultural brasileira

 
Diretrizes para as políticas culturais
Está disponível a segunda edição do caderno de diretrizes para o Plano Nacional de Cultura, com informações atualizadas a partir da revisão do Conselho Nacional de Política Cultural
a prefeitura de arapiraca contra a cultura local a prefeitura de arapiraca contra a cultura local Reviewed by davy sales on quarta-feira, março 25, 2009 Rating: 5

Um comentário:

Paulo Amaral disse...

" POVO SEM MEMÓRIA, SEM CULTURA E SEM HISTÓRIA É POVO QUE NÃO EXISTE"

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.