mulheres e aborto

Muitas ongs e governos começam a pensar as questões sobre os direitos sexuais e reprodutivos. A questão do aborto, escondida atrás de uma nuvem moralista e religiosa, sempre foi um tema tabú. Evita-se falar dele para evitar construir possibiidades de acesso ao sistema de saúde para tal prática.

Mas as mulheres abortaram, abortam e abortarão sempre que julgarem necessário. Nesse sentido, é preciso que o debate supere a mesquinhez do pensamento ortodoxo dos religiosos e avance sob o sol da constituição cidadã.

Obviamente que a questão não seria abrir-se indiscriminadamente ao abortamento. Mas encontrar soluções razoáveis é melhor e mais saudável. Não basta condenar mulheres à fogueira ou ao inferno. É preciso ouví-las, sinceramente. Ninguém aborta por capricho: ora a natureza se encarrega, ora o humano interfere. Precisamos encontrar os limites e as possibiidades dentro da perspectiva dos direitos sexuais e reprodutivos. Chegou a hora de discriminalizar as mulheres e suas práticas.

O Ipas é uma organização não-governamental internacional que trabalha há três décadas com os objetivos de reduzir o número de mortes e danos físicos associados a abortamentos; expandir a capacidade da mulher no exercício de seus direitos de natureza sexual e reprodutiva; e melhorar as condições de acesso a serviços de saúde associados à reprodução, inclusive aos serviços de abortamento legal em condições adequadas (aborto seguro). Entre os programas desenvolvidos pelo Ipas em âmbito global e nacional, podemos citar programas de treinamento, pesquisa, advocacia, apoio ao acesso de tecnologias relativas à saúde reprodutiva e programas de informação e divulgação.

saiba mais em http://www.vaipensandoai.com.br/site_novo/

mulheres e aborto mulheres e aborto Reviewed by davy sales on sexta-feira, janeiro 23, 2009 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.