Política no modo arapiraquense

Sem televisão local, mas com dezenas de rádios AM e FM, Arapiraca segue para as eleições de 2008 sem nenhum debate entre os candidatos.

Foi cassado o direito dos eleitores ouvirem, num debate amplo e democrático, cada um dos candidatos mostrando os principais pontos do seu projeto de cidade: Ivan, Lucivan ou Luciano não se apresentarão a cidade num debate.

Preferiram conversar com seus possíveis eleitores em visitas individuais, "caminhadas", de bairro em bairro.

Assim está dito: cada macaco no seu galho; assim está entendido: política em Arapiraca deve ser feita como se não houvesse concorrência. Isso empobrece o pleito, esvazia o sonho, nega a utopia.

Atado ao marasmo do mais do mesmo, a comunidade caminha como se submissa fosse, evitando pensar sobre os caminhos a percorrer e sobre sua própria identidade.

Nossa arapicaneidade é forjada na política que é vista como assunto de herdeiros dos antigos currais eleiorais. Seu desenho sugere mais monarquias feudais (porque cada um sente-se dono do voto de determinado feudo-rebanho) do que representatividade democrática (fruto de escolha livre de voto).
Política no modo arapiraquense Política no modo arapiraquense Reviewed by davy sales on quarta-feira, setembro 24, 2008 Rating: 5

Um comentário:

Anônimo disse...

Infelizmente, essa é a situação da maioria dos município brasileiros. O que vemos é a prevalência do poder. O povo vota no homem, não em suas propostas.
Os coronéis, fecham as porteiras e recolhem os votos.
Em nossa Alagoas ainda existem políticos que reunem os funcionários do município, mandam o padre celebrar uma missa, faz a homilia e confere a lista de presença. Até mesmo o Divino Espiríto Santo tornou-se cabo eleitoral!

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.