domingo, 29 de dezembro de 2013

guia de cultura e turismo de arapiraca

A Prefeitura produziu um pequeno guia sobre a cidade, com dicas sobre sua história, sobre a cultura local, os pontos turísticos, de lazer e comerciais. O guia ainda é pequeno e preza pela propaganda mais do que a qualidade da descrição dos lugares e eventos. De todo modo é um guia que oferece aos moradores e visitantes uma ferramenta interessante para melhor conhecer a nossa cidade.

Para baixar o guia gratuitamente: http://www.arapiraca.al.gov.br/v3/informativos/949/files/guiaculturaeturismo.pdf

terça-feira, 26 de novembro de 2013

enquanto isso no lago da perucaba

Surgem os primeiros traçados do novo bairro perucaba. Essa nova região promete refundar a nossa paisagem urbana. O empreendimento deve influenciar também na melhoria das condições de infra-estrutura das cacimbas, manoel teles, baixão e cavaco. Ao construir um bairro de classe média alta no sudoeste do lago, a cidade terá que repensar e investir em novas vias, na despoluição do lago, instalação de sistema de transporte coletivo e investimento nas condições de habitabilidade de toda a região.

imagerecorte de fotografia de urbis perucaba empreendimentos

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

iv festival de teatro de arapiraca

image

Dia 01 de dezembro de 2013 – domingo

16h - Uma história de Cordel na Feira do Passarinho (Cia Nega Fulô) Parque Ceci Cunha

A Cantora Careca (Insanos Cia de Teatro) Teatro do Planetário

Dia 03 de dezembro de 2013 - terça-feira 

20h – Vôo Solo (Invisivel Cia de Teatro) Tetro do Planetário

Dia 04 de dezembro de 2013 – quarta-feira

20h – Graciliano, um brasileiro alagoano, memórias de Heloísa (Sua Majestade, o  Circo) Teatro do SESI

Dia 05 de dezembro de 2013 – quinta-feira

20h – Cordel do Amor sem Fim (Cia Maria Dengosa) Teatro do SESI

Dia 07 de dezembro de 2013 – sábado

20h – Miradolina (Grupo Cena Livre) Teatro do Planetário

Dia 08 de dezembro de 2013 – domingo

20h - A Farinhada (Ass Teatral Joana Gajuru) Teatro do Planetário

domingo, 17 de novembro de 2013

sobre a balneabilidade do lago da perucaba

A cidade de Arapiraca possui riachos e lagos. Praticamente nenhum possuiu status de área para banhos e lazer (salvo algumas bicas na RMA). No verão as temperaturas beiram os 39 graus e há poucas opções de banho e lazer públicos, ou melhor, não há. Na maçaranduba e na bananeira há parques aquáticos privados, e com pouco impacto se observarmos a demanda por este tipo de espaço na cidade. Certamente um grande parque aquático de boa estrutura teria como fazer muito fama e presença por aqui, a lacuna não foi preenchida. Em Arapiraca, o maior espaço natural de lazer e com um enorme lago é o complexo do Perucaba, com capacidade de armazenar 4.130.500 m3 de água. Há muito sabemos que o lago é utilizado por banhistas, pescadores e esportistas náuticos, apesar de sua condição de águas muito poluídas. Então a perguta sobre se o lago é poluído ou se há condições de balneabilidade? Imagino o Perucaba vir-a-ser a praia da cidade. Vejamos o que sabemos sobre isso.

A classificação sobre a água própria ou imprópria está definida nos índices de Número Mais Provável (NMP) de Coliformes Termotolerantes (fecais) por 100ml de água (resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional de Meio Ambiente). O estudo “Avaliação da qualidade da água do Lago da Perucaba em Arapiraca-AL para a prática da balneabilidade” de Anderson Silva de Brito (UNEAL) e Rafael Albuquerque Xavier (UFRJ) é um dos poucos a tratar especificamente da questão da balneabilidade do lago da Perucaba. Segundo os autores as taxas de poluição são maiores na área urbana e menores nas áreas rurais do lago. Um dado interessante é saber que o lago foi criado pelo DNOCS com o objetivo de abastecimento d´água mas esse propósito não pode ser alcançado devido as condições geológicas do lugar que salinizaram as águas. Lembram, contudo, que o papel da prefeitura para revitalizar a área é pontual pois incide sobre as condições de habitabilidade mas deixou de lado a belneabilidade: “a revitalização não contempla a recuperação do corpo hídrico, pois centraliza suas obras apenas no desvio de um córrego dos principais esgotos que era lançado no corpo receptor e na melhoria visual da área do seu entorno”. Os autores lembram que no projeto de 2005 da prefeitura havia menção a recuperação do corpo hídrico mas que foi esquecido nos trabalhos iniciais em 2008, quando a cidade observou uma grande mudança na paisagem da região, e que hoje toma uma nova dimenção com a chegada de um enorme bairro planejado na sua orla sudoeste.

pontos vermelhos (poluição) amarelos (niveis médios de balneabilidade)image

image

Em suas conclusões, os autores avisam que apesar de o local já proporcionar lugares de balneabilidade, a taxa de coliformes fecais parece ser ainda um grande impedidor de uso do lago como espaço de lazer e de contato direto entre banhistas e águas. A cidade quer mais do que nunca o status de balneabilidade para o lago mas não há um monitoramento periódico pelos órgãos fiscalizadores responsáveis sobre as condições das águas, impedindo e atrasando seu usufruto coletivo.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

pesca do camarão no lago da perucaba

Arapiraca é pouco conhecida como uma cidade que possui pescadores. O lago da Perucaba, apesar de extremamente poluído, mantém um grupo de pescadores que tiram dele cará e camarão. Visitando a região onde estão construindo um bairro planejado deparei-me com a cena inusitada, pelo menos para a maioria dos moradores, um pescador puxando sua rede com camarões do lago.

pescacamarão

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

a política local

Se bem entendi, a Prefeitura será tomada a três mãos, Célia, Luciano e Renan. O trio mostra um poder invejável. O clima era de prestação de contas. Tanto que a cidade agora está na discussão de: se Luciano ou Renan para governador. Célia chamou a imprensa para confirmar antigos aportes trazidos pelo Renan ~ esgotamento sanitário e pavimentação de ruas. Na fala da prefeita a constatação de que não há projetos bem definidos (quando citou a praça Marques disse que fará reformas pontuais, mas não ficamos sabendo do que se trata pois assegurou ao antigo prefeito Severino Leão que não iria mexer no desenho deixado por ele, no parque Ceci Cunha gastará 600 mil mas não ficou claro como ou em que). Luciano deixou claro que sua administração dá à Célia um horizonte de cidade bem vantajoso. A cidade tem duas universidades e dezenas de faculdades, vive expansão urbana e verticalização, e outras moedas. Luciano tem boa noção de como é uma carta valiosa nesse cenário. Renan confirmou seu empenho em buscar investimentos para a RMA. Ai falou-se do aeroporto, ficou sabido que está confirmado mas Luciano lembrou de que nosso aeroporto deve investir em terminais de cargas. Assim não há projeto finalizado sobre aeroporto, os recursos ai e ninguém sabe como será o aeroporto nem onde será construído. Uma busca por projeto na infraero e nada. A pauta do VLT foi esquecida por todos, nem a santíssima trindade nem os jornalistas lembraram de Luciano e Renan passeando nos trilhos anunciando a vinda do metrô. É certo que Luciano deu o primeiro passo em outras questões importantes. É hora de Célia vingar. Prestemos atenção.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

transformação da cidade: bosque das arapiracas (imagens 2001-2011)

As fotos de satélite abaixo mostram a linha de tempo de mudanças que ocorreram entre 2001 e 2011. A região abrigou por décadas a comunidade do caboje e outras vielas que compunham um quadro de extrema pobreza e vulnerabilidade.

bosque das arapiracas

2001

ba2001

 

2004

 ba2004

 

2008

 ba2008

 

2011

ba2011

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Hoje é dia da Visibilidade Lésbica

Um beijo para todas as mulheres que amam mulheres. Pelo fim da violência, da homofobia e do silêncio.

concurso prefeitura de arapiraca 2013

Prefeitura Municipal de Arapiraca publicou edital de concurso público para 666 vagas. As inscrições serão realizadas no endereço http://fadurpe.com.br/arapiraca2013 ou no Museu Zezito Guedes na Praça da Prefeitura, entre 29/08 e 29/09

Edital em Capítulos

INTRODUÇÃO

I – DOS CARGOS E DAS VAGAS OFERTADAS

II – DAS VAGAS DESTINADAS AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

III – DO PROCESSO DE INSCRIÇÃO

IV – DAS CONDIÇÕES ESPECIAIS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS

V – DA ESTRUTURA DO PROCESSO SELETIVO

VI – PROVAS OBJETIVAS (Primeira Etapa)

VII - DA PROVA DE TÍTULOS PARA OS CARGOS DE PROFESSOR, BIÓLOGO, BIOQUÍMICO, DENTISTA (SEM ESPECIALIDADE), EDUCADOR FÍSICO, ENFERMEIRO, FARMACÊUTICO, FISIOTERAPEUTA, FONOAUDIÓLOGO, MEDICO CLÍNICO GERAL, NUTRICIONISTA, PSICÓLOGO, TERAPEUTA OCUPACIONAL, VETERINÁRIO, ZOOTECNISTA E DE PROCURADOR MUNICIPAL (Segunda Etapa)

VIII - EXCLUSÃO E ELIMINAÇÃO

IX- APROVAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E DESEMPATE

X – DO RESULTADO FINAL

XI – DO PREENCHIMENTO DAS VAGAS

XII – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

ANEXO I - TABELA DE CARGOS
ANEXO I A - QUADRO DE VAGAS POR ZONA DE LOTAÇÃO PARA OS CARGOS DE: PROFESSOR, AUXILIAR DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL E RECREADOR INFANTIL
ANEXO II - PROGRAMAS
ANEXO III - CRONOGRAMA DO CONCURSO CARGOS: GRUPO 01 E GRUPO 02

sábado, 17 de agosto de 2013

arapiraca hoje

ensaio com seis fotografias tiradas em 2010 e agora as apresento como se fossem fotografias antigas. Expor o presente no passado dá-nos apossibilidade de ver a cidade com outros olhos.

ceci cunhaaraold16

r são franciscoaraold1 

cemitério san francisco araold7

parque ceci cunha araold10

rua do comércio araold12

praça marques da silva araold13

terça-feira, 30 de julho de 2013

idh de arapiraca

O PNUD/ONU acaba de divulgar os dados do IDH (Índice de Desenvolvimenti Humano), o IDH de Arapiraca é 0.649 (o que equivale a médio desenvolvimento). Apesar do avanço nos últimos 20 anos (1991-2010) é persistente os baixos índices de educação e renda entre nós. O link [http://www.atlasbrasil.org.br/2013/perfil/arapiraca_al] leva você direto para os dados de Arapiraca, Um dado que chama muita atenção para nossa desigualdade social mostra que quase 59% da renda do município é apropriada apenas pelos 20% mais ricos. Contraditoriamente é a renda o índice que menos evoluiu. A cidade ficou mais rica tocando apenas levemente na redução da pobreza. A meta correta deveria ser atacar a concentração de renda na cidade, alianças e políticas para abrir canal de maior circulação de riqueza entre os cidadãos e cidadãs.

terça-feira, 28 de maio de 2013

programação são joão arapiraca 2013

image

A prefeitura divulgou a programação junina de 2013. Há quatro palcos-espaços para distintas programações que procuram contemplar diferentes manifestações juninas. É bom lembrar que Arapiraca continua a ter no mês de junho, além da programação pública de eventos, as festas privadas, pois muitísimas residências mantém a tradição de acender fogueira para os três santos (Santo Antônio, dia 12; São João, dia 24 e São Pedro, dia 29). Nestas três datas a cidade fica tomada pela fumaça das fogueiras que pode ser vista em todas as ruas na frente de inúmeras residências que também fazem seus próprios forrós e festas com comidas da época fabricadas à base de milho.

:: Concurso Carroça de Burros ::. [16h]

5 de Junho: ao lado do Ginásio do Parque Ceci Cunha

:: Concurso de Quadrilhas ::. [sempre a partir das 20h]

13 a 27 Junho: Concurso de Quadrilhas matutas e estilizadas [no SESC]

:: Mercardo do Artesanato ::. [sempre a partir das 20h]

1º de junho: Afrísio Acácio e Zé do Rojão;
2 de junho: Zé Moreira e Zé Arnaldo;
7 de junho: Bastinho da Sanfona;
8 de junho: Mário Maia;
9 de junho: Davi do Acordeon;
12 de junho: Igor Machado e os Arteiros S/A;
13 de junho: Severino do papel;
14 de junho: Severo do Acordeon / Tatá do Acordeon;
15 de junho: Forrofiando / Moisés do Acordeon;
16 de junho: Radielson e Seu Regional;
20 de junho: Zé Paulo, o Major do Forró;
21 de junho: Ditinha da Sanfona;
22 de junho: Zé Antônio do Acordeon;
23 de junho: Ednaldo do Acordeon;
28 de junho: Souza do Acordeon;
29 de junho: Dadá da Sanfona;
30 de junho: Miguel Vieira e Arrasta Sandália.

:: Lago da Perucaba ::. [sempre a partir das 22h]

22 de junho: Forró do Tchê e Alves Correia;
23 de junho: Raphael e Gabriel, Forró Invocado e Forró Olhos de Gato;
24 de junho: Saia Rodada e Banda Fascínio;
28 de junho: Simone e Simaria – As Coleguinhas, Táxi Lunar, Jorginho e Forró Mp3;
29 de junho: Cavaleiros do Forró, Forró Rabo de Catenga;
30 de junho: Dorgival Dantas, Zé Dules e Banda Dengo do Forró e Advogados do Forró.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

memória de uma praça

Uma cidade constrói-se lentamente, tijolo por tijolo, casa por casa, prédio por prédio, rua por rua. Mas uma cidade não é apenas feita de casas e prédios. Digamos que as casas servem de abrigo para seus moradores, os prédios como espaço para trabalhadores. Mas a cidade é feita também de espaços onde pode-se descansar e procurar um tempo de lazer e distração. Esse lugar é a praça. E as praças são aquelas zonas entre a casa e o trabalho, lugar onde estamos sempre de passagem, lugar de encontrar amigos, sentar, observar o movimento, trocar longas conversas sobre a vida e seus initerruptos problemas cotidianos.

A praça Marques da Silva, no centro da cidade, é um espaço de longa memória. Desde os primeiros anos da cidade esta praça era o marco zero, o centro nervoso da vila que pedia o estatuto de cidade. Nela a cidade respirou suas alegrias e suas tristezas e foi nela que a cidade pensou em ser mais do que uma pobre cidade do interior nordestino. A praça Marques foi sempre sinônimo de lugar onde a nossa identidade esteve sempre presente. Lugar das primeiras reuniões de cidadãos, lugar das residências dos fundadores da cidade, lugar da primeira igreja, lugar dos primeiros comércios, do primeiro cinema. Lugar que marcou a vida dos locais, lugar que colocou a cidade no ritmo do progresso e do seu futuro.

Praça Marques – 1920pcamarques3

Praça Marques - 1950 pcamarques19

Praça Marques – 1960pcamarques1

Praça Marques - 1970pcamarques7

Praça Marques Hojepcmarqueshj

Ela já teve grandes jardins, já teve fonte luminosa, já sofreu dezenas de transformações arquitetônicas, de modo que carrega em suas veias a própria dinâmica de transformações que a própria cidade viveu. A praça Marques é o sistema circulatório da cidade. Hoje mais do que nunca. A praça é lugar de reunião do povo, do encontro entre amigos, da passagem de estudantes e trabalhadores, dos protestos e festas políticas, da passarela para ver e ser visto, do lugar que orienta os quatro cantos da cidade, que orienta o fluxo de carros e pessoas pelas artérias da cidade.

Hoje ela encontra-se bem esquecida pela prefeitura e câmara de vereadores, apesar de sua espetacular importância para a identidade social, cultural, política e econômica da cidade. Nas suas últimas décadas sofreu várias intervenções que, grosso modo, foi retirando cada vez mais espaço de convivência civil para receber quiosques de lanchonetes, café, bares e floricultura. Mas esse ano vimos estupefatos a prefeitura autorizar a derrubada de bancos da praça para dar lugar a um quiosque de sorveteria de luxo. Temos que ter cuidado com isso pois a praça acaba por tornar-se uma contradição: ao invés de lugar de contemplação (cada vez menos flores e verdes) para um lugar de comércio (cada vez mais loteado por comerciantes).

O comércio na praça não é de todo um mal. O café expresso da praça, por exemplo, já tornou-se um bem cultural para muitos dos seus frequentadores. O problema é que a cidade tem um padrão nocivo em suas praças. O parque Ceci Cunha, por exemplo, é loteado também por quiosques, roubando áreas de convivência e lazer para quem o procura. No novo bosque das arapiracas vê-se uma dezena de quisques de lanchonetes em seu percurso. Raramente vemos praças na cidade onde não haja sequer um comércio sobre ela que sequestra o espaço verde, os espaços de descanso. Nossa prioridade deve voltar ao que a praça Marques foi em suas primeiras décadas, uma praça-parque, um lugar para iluminar a beleza local, um lugar para o descanso e para o lazer.

Fotografias: a foto atual é uma colagem de três fotografias minhas (Davy Sales), as fotos com datas das décadas passadas,  um recorte de fotografias do acervo da Câmara Municipal.

domingo, 19 de maio de 2013

semana “mulheres unidas”

  • Apresentação: UFALProCinema e Coordenadoria de Extensão
  • Local: Memorial da Mulher (Parque Ceci Cunha)
  • Data: 22 a 24 de Maio de 2013
  • Horário: a partir das 14h

 

a fonte das mulheres

 

22/05 quarta-feira


A Fonte das Mulheres (BEL/ITA/FRA, 2011, dir. Radu Mihaileanu, 135’)

Centrada na guerra dos sexos, esta comédia dramática é uma fábula moderna sobre uma pequena vila onde mulheres ameaçam fazer greve de sexo se os homens não buscarem água em um lugar longínquo.


 

 

1 a a a a made 23/05 quinta-feira

Revolução em Dagenham (ING, 2010, dir. Nigel Cole, 113’)

Em 1968, na Inglaterra, mulheres protestaram contra a discriminação sexual lutando por aumentos salariais nas fábricas da Ford em Dagenham, Inglaterra. Interromperam a produção da fábrica em que trabalhavam.



 

 

 

FelliniCittadelledone

 

24/05 sexta-feira


Cidade das Mulheres (FRA/ITA, 1980, dir. Federico Fellini, 140’)

Durante uma viagem de trem, Snàporaz é seduzido por uma bela mulher. Seguindo-a, ele acaba vivendo uma fantasia, metade sonho, metade pesadelo, na cidade das mulheres, um lugar onde, por ser o único homem, é ao mesmo tempo reverenciado e julgado.

 

Entrada franca

Certificado de 10 horas

Inscrições no local, no primeiro dia (40 vagas)

Responsáveis: David Lopes e Ivânio Cunha

Exibição de curtas-metragens antes do filme principal


sexta-feira, 17 de maio de 2013

silêncio que violenta direitos

Hoje é 17 de maio. O silêncio da cidade no Dia Internacional da Luta contra a Homofobia mostra um lado vergonhoso das nossas instituições públicas. A ONU afirmou hoje que os países são obrigados a proteger LGBTs da tortura, discriminação e violência. Para a Organização, as práticas discriminatórias permitem que lhes sejam negados direitos fundamentais.

No site da prefeitura nenhuma menção a data na página inicial. Um sintoma dessa invisibilidade pode-se constatar numa busca no próprio site da prefeitura pela palavra “homofobia” em qualquer data, Resultado? nenhuma menção ( http://www.arapiraca.al.gov.br/v3/resultadobusca.php?busca_que=homofobia&imageField.x=-1007&imageField.y=-176). Não entendo a lógica, senão um evitamento sutil (espera-se que não seja estratégia) porque sabemos que a prefeitura é engajada para muitos temas sociais, como quando o site fica cor-de-rosa para comemorar o outubro rosa. com várias ações em prol da saúde da mulher e tantas outras campanhas durante todo o ano.

image

O silêncio continua no poder legislativo. Na página da Câmara de Vereadores nenhuma menção. O site é arcaico por si mesmo, parece página falsa pois nada funciona. Tudo é antigo e desatualizado. Ao buscar a palavra “homofobia” em qualquer data, Resultado? também nenhum sinal ( http://www.cma.al.gov.br/search?SearchableText=homofobia ). Tem menu para tudo mas é de brincadeira, não é sério (basta ver que o SAPL não recebe as informações, é um banco de dados fantasma: http://sapl.arapiraca.al.leg.br/default_index_html). Não há registro de qualquer discussão pública que envolva o diálogo sobre violações dos direitos fundamentais (que são direitos humanos por excelência) no âmbito dos coletivos e pessoas homossexuais da cidade.

image

Entrei em contato via twitter com o ex-prefeito Luciano Barbosa, a prefeita Célia Rocha e seu vice Yale Fernandes, para que explicassem a ausência de qualquer nota alusiva ao debate. Não pela opinião pessoal de cada um, mas por serem autoridades políticas que representam essa sociedade.

image

Até a hora do encerramento desse artigo não obtive resposta às questões enviadas.

No judiciário não ficou tão diferente, digo isso justamente porque é amplamente sabido hoje que o legislativo é pautado por valores homofóbicos e evita discutir, mas o judiciário é baseado em valores constitucionais, é obrigado a agir. O STF hoje vive uma enorme tensão com a Câmara dos Deputados justamente porque cumpriu seu papel, deixou a nú o legislativo. A OAB não é propriamente o representante direto do poder judiciário mas dos advogados (nesse sentido a cito por causa do parentesco direto). A OAB local não deu qualquer notícia. Na busca podemos ver que nenhum documento foi escrito com o tema (http://www.oabarapiraca.org.br/site/?s=homofobia). A Defensoria Pública do Estado não deu uma linha à discussão. No Ministério Público Estadual a mesma desatenção. No site do Tribunal de Justiça de Alagoas a questão também foi deixada calada. Isso é interessante porque é justamente do judiciário que tem vindo as únicas garantias de direitos fundamentais dos grupos LGBTs. É o único poder que fala abertamente sobre a violação e abre processos para garantir existência civil para todos.

Nos portais de notícia da cidade a mesma sensação de silêncio abonador e alimentador das múltiplas violências que o fenômeno da homofobia carrega. No MinutoArapiraca nada, Na Tribuna do Agreste a mnesma indiferença. Na Rádio96Fm também se ignorou o tema. É o preconceito velado de jornalistas que não deveriam professar o metier de investigador e porta-voz da movimentação da vida social. Jornalismo filho do tabu e do preconceito. Jornalismo que perde seu nome,

notas curtas

O inverno chegou, mais dias chuvosos e madrugadas mais frias. Collor pagando promessa, cada vez mais visto em eventos na cidade. Teatro do Bom Conselho é o único teatro de dez anos que jamais abriu suas portas. As principais entradas da cidade estão em péssimas condições. Ninguém mais fala do metrô de Arapiraca. Andando pelo bosque das arapiracas temos a sensação que no futuro será muito bonito, com árvores adultas. A construção do shopping anda a passos lentos, apesar de estar quase terminado. Quem parece estar para ser inaugurado é o G Barbosa nos limites das cacimbas, baixão e centro. A Aeronautica esteve na cidade visitando terrenos que poderiam acampar o novo aeroporto, até o momento não há localização oficial. . É urgente a construção de viaduto para travessia na AL220 (hospitais, shopping e planalto-massaranduba). Parece um assalto de igrejas evangílicas na cidade, há ruas que se contam as dezenas. Pena a agenda culturtal local ser mais propaganda que calendário permanente. Estranho Arapiraca jamais ter suportado um jornal escrito. Será que os novos conjuntos residenciais deixarão a prefeitura realizar para nós o sonho de um mirante público na serra da microondas? A rádio e tv educativa de Arapiraca vai erceber investimentos, mais não ligue sua tv agora. O lazer na cidade é muito pobre. Cadê o transporte público? Moto-taxi,

sábado, 11 de maio de 2013

dois momentos atuais da cidade

O crescimento demográfico na região da Boa Vista engoliu o antigo aeroporto

voar

O surgimento de novos prédios de apartamentos, o shopping e a duplicação da AL220 nos Caititús

arapiraca_shopping

sábado, 27 de abril de 2013

centro de convenções morro santo e esgotos

A prefeita esteve em Brasília para tratar sobre construção do Centro de Convenções de Arapiraca e da implantação do Complexo Turístico do Morro Santo da Massaranduba. Os projetos não possuem visibilidade pública pois a prefeitura não oferece acesso online ao projeto, do que trata, as plantas, impactos. É certo que o site da prefeitura é subutilizado pelo poder público, que poderia ganhar com projetos das secretarias disponíveis para consulta pública. O projeto que vi ano passado (foto abaixo) é uma pobreza tristeza arquitetônica.

cconv

Olha o problema: segundo dados do IGBE (2010) a rede de abastecimento de água está em 81,07% dos lares (16,55% usam poço ou nascente) e a rede de esgoto está em apenas 10,61% dos lares (8,8% usam fossa séptica e 77,8% usam fossa rudimentar). Há universalidade no acesso a água por rede de abstecimento mas apenas uma em cada dez casas está ligada a rede de esgotos.

esgotoagua

sexta-feira, 26 de abril de 2013

célia inaugura novo perucaba em outubro

Uma intervenção urbana no entorno do lago da Perucaba foi iniciada no início do mês (8/04) e deve ser entregue em outubro, mês do aniversário da cidade. Brilhante moeda política para nossa prefeita. A obra propõe ser a segunda etapa de urbanização do lago que será completamente envolto numa grande avenida em torno de sua orla. Nova identidade urbana, novos bairros, novos espaços. O impacto da conclusão da urbanização do lago sobre a cidade será muito positivo.

No ano passado soubemos da construção de um enorme bairro no lado sul do lago. Com a urbanização, o novo bairro vai redesenhar nossa cidade mais uma vez, em direção ao sudoeste, na mesma proporção que vemos a expansão imobiliária ao norte (planalto, massaranduba, arnon de melo, ouro verde, shopping, prefeitura e ufal). Novos bairros estão se desenhando no entorno da serra da microondas.

A cidade está em plena reengenharia urbana mas a paisagem ainda é pobre, como se nos faltasse o auxílio luxuoso da arquitetura. De uma coisa podemos ficar certos: a cidade vai criar uma região muitíssimo valorizada na vizinhança do lago. A região do sítio Pau Ferro tornar-se-á bairro neste fim de ano (o mesmo processo vivido pelo sítio cazuzinhas no último ano). Há, nos quatro cantos da cidade, uma centena de novos conjuntos residenciais literalmente consumindo áreas há pouco rurais. A fronteira urbano-rural entre nós está numa movimentação constante desde pelo menos as duas últimas décadas.

As vizinhas Feira Grande e Lagoa da Canoa rapidamente serão “engolidas” pela força da expansão sul, chamada pelos novos empreendimentos que já sinalizam ir para lá (tal qual está nesse momento acontecendo ao noroeste da cidade com a mineradora e aeroporto novo nos levando ao encontro de Craíbas). É que a cidade já dá sinais claros de aproximação do urbio em seus limites territoriais em alguns pontos de sua fronteira rural com municipios vizinhos (região metropolitana). Aliás, o novo aeroporto e o shopping estão ligados com a questão muito recente da metropolização no agreste.

Um erro cruel de nossa câmara de vereadores que jamais cobrou investimentos para transformar a urbanidade do manoel teles, cacimbas II e parte do baixão desde a primeira fase de urbanização do lago. Com o olhar voltado para região é preciso que se integre esses bairros a zona de expansão no lago para dar maior possibilidade de a cidade crescer de forma mais justa para todos. A cidade precisa discutir como incluir a primavera, as cacimbas, o manoel teles e o baixão ao novo complexo do lago da Perucaba. A cidade tem que ser pensada em seu plano macro. E a atenção microscópica para as sociabilidades da cidade, para entender seus movimentos, sentidos e desejos sobre a cidade onde habitam seus corpos, suas almas e seus sonhos.

 

O território da cidade de Arapiraca – AL

image image

o lago da Perucaba e a cidade

imageimage

o lago: o que virá?image

Provável local de construção de ponteponte