quarta-feira, 23 de julho de 2014

candidatos a governador de alagoas 2014

clique no nome do candidato para ter acesso aos dados no TSE

Nome completo Nome Urna Núm Partido                               

segunda-feira, 21 de julho de 2014

prefeitura abandonou o memorial da mulher

O Memorial da Mulher Ceci Cunha encontra-se em estado de abandono. O espaço foi criado para homenagear as mulheres da cidade. Há em seu acervo com fotografias, áudio e vídeo de duas ou três dezenas de mulheres que marcaram presença na construção da identidade arapiraquense. Com altos e baixos, o memorial manteve uma agenda importante por algum tempo. A deputada Ceci Cunha, assassinada em Maceió, num crime que comoveu toda a cidade e o Estado é a homenageada maior. A prefeita Célia Rocha costuma pontuar a importância da presença e memória das mulheres mas parece que sua atenção tem passado ao largo das necessidades mais imediatas do memorial, que seria a manutenção do espaço em condições mínimas de uso do acervo e circulação pelos espaços. Obviamente é bom que não se esqueça a responsabilidade que também deve ser imputada aos vereadores da nossa Câmara, co-responsáveis pela falta de atenção com nosso patrimônio.

DSCF3557

Dado a importância que as mulheres tomaram em nossa vida pública local, a deputada Ceci Cunha tem seu nome grafado no Memorial da Mulher, dá nome ao parque que fica no entorno do memorial e recebeu também seu nome no rebatismo da avenida cel Wilson Santa Cruz, hoje Avenida Ceci Cunha. Isso não pareceu o bastante. Um pequeno trecho do discurso de posse da deputada na Assembléia Legislativa está inscrito num vão sobre o memorial, onde visitantes vão para observar o parque e o centro da cidade. Qual não é a triste surpresa de subir ao recinto e ver o completo abandono. Como se pode ver, a placa está abandonada, como letras faltando e sem nenhuma limpeza no local. Visitar uma homenagem à deputada e se deparar com fezes de animais ao lado é, no mínimo, triste.

DSCF3554

Ao redor do memorial há jardins, e estes estão, apesar também de abandonados, bem bonitos. Dá para perceber que aqui também não há cuidado, não há manutenção e poda das flores e árvores. Ao observar os bancos para o descanso dos visitantes a noção de abandono está bem presente. É preciso que principalmente as mulheres da cidade movimentem-se para cobrar da prefeitura a atenção que o memorial merece. Se a cidade não gritar contra esse esquecimento certamente o memorial é um grande candidato a ruina patrimonial.

memorial

ps: Sai pela manhã para fotografar o memorial da mulher. A foto do jardim mostra bem a poesia do abandono. O feio é belo, o belo é feio, e o seu verso, também seu reverso, e continua.

domingo, 13 de julho de 2014

ampliação da urbanização do lago perucaba

Orçada em R$ 2.154.455,00, a obra de ampliação da urbanização do lago da perucaba na área degradada (leia-se final das cacimbas-manoel teles) pretende ligar a área urbanizada da orla até a entrada do novo bairro planejado que está sendo construído no momento. A região sempre foi desprezada pelo poder público e sua degradação é da responsabilidade e inação da prefeitura e da Câmara de Vereadores que jamais olharam para a área, paupérrima, porém, região importantíssima para onde confluem os bairros zélia barbosa, primavera, cacimbas, manoel teles e baixão. O local sempre foi um espaço de despejo de dejetos, lar também do antigo matadouro (em processo de desativação). O investimento não é da Prefeitura, este vem do Ministério das Cidades (embora eu não tenha à mão nenhuma negativa de contrapartida local).

refacude1

A ampliação da urbanização tem um timing perfeito com o tempo das construtoras e interesses dos grandes do mercado imobiliário. Enquanto a região era apenas para uma população pobre, sua paisagem era invisível, um imenso terreno baldio, rodeado de casas precárias, rua de chão batido, lixo, e escuridão noturna. A região tornou-se palco da construção de um “novo bairro” privado, e ganhou o reconhecimento de que precisava muito de atenção. No art 8 do plano diretor da cidade diz que visa “distribuir igualmente os benefícios e ônus dos investimentos públicos, reduzindo as desigualdades sócio-espaciais, de forma a recuperar, para a coletividade, a valorização imobiliária decorrente dos investimentos públicos”, nesse ponto parece claro que a coletividade está a reboque do projeto tendo em vista de que esta intervenção foi possível apenas com a chegada do projeto privado dos residenciais perucaba. Não foi fruto de discussões com moradores da região mas para primeiro servir aos moradores que ainda virão. Essa fotografia abaixo será história daqui a pouco: aqui tudo está em construção.

refacude2

A obra (aparentemente simples) promete durar um ano, a ser entregue em maio de 2015 (não entendi porque tanto tempo). Haverá intervenção no final da avenida norte, e a frente, como se vê nesta ultima foto. Se o padrão arquitetônico se repetir nesse lado sul do lago vai ser uma pena. O traço arquitetônico das intervenções públicas no parque Ceci Cunha e Bosque das Arapiracas já cumpriram o seu papel, parece, não sei, falta criatividade e sofisticação nos projetos. É muito interessante assistir ao que este blog vem insistindo no desabrochar da “nova arapiraca”, que nasce pedindo divórcio (é um enorme conjunto de residenciais ladeados por muros e guaritas). A cidade precisa encontrar um meio de evitar segregações muito intensas e conflituosas visto que a maioria dos novos empreendimentos destinados aos mais ricos são condomínios fechados, não integrados diretamente à cidade senão com seus muros e guaritas contra a cidade.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

isso também é arapiraca

DSCF3038DSCF3067DSCF3119DSCF3128

1. Olhando Arapiraca desde o Canaã (AL220-oeste). A paisagem natural é muito bonita, bucólica, calma;
2. Neblina na saida de Arapiraca para Maceió (AL220-leste). É desse tempo frio que os altos agrestes (estamos a 258m acima do nível do mar) se alimentam;
3. Esporte aquático no lago da Perucaba. É preciso correr para regulamentar esse uso, imagine se todo rico daqui comprar um jet-ski, vai ter engarrafamento;
4. Pescadores arapiraquenses no lago da perucaba. Figuras enigmáticas numa cidade sem rios ou mar navegáveis.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

cesmac e santa casa em arapiraca

A construção de um campus do CESMAC e do novo hospital Santa Casa de Misericórdia foi confirmado para serem construídos nas proximidades do novo bairro às margens do Lago da Perucaba. A Santa Casa será o hospital-escola do curso de Medicina que o CESMAC vai oferecer a partir de 2016 em Arapiraca. Em 2016 a cidade terá dois cursos de medicina, no campus UFAL e no campus CESMAC. Estamos nos tornando, de fato, como Campina Grande, um polo educacional sem par na região. 2016 promete ser um dos anos mais promissores para a cidade. As oportunidades estão crescendo, temos que fazer nossa lição, pensar a cidade e atuar para que a grande riqueza gerada possa ser redistribuída para mais arapiraquenses, para que o título de metrópole do futuro não nos deixe.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

cadê o mirante de arapiraca?

Uma cidade pode ser poesia, ou pode ser um nada. Desde meus dias de juventude via a "serra da microonda" como o mais belo mirante da cidade. Íamos lá para beber vinho e conversar. Os anos se passaram e a cidade não lutou para realizar um bem público como a construção de um mirante aqui. No momento a serra está sendo engolida pela expansão urbana (colocaram um muro de concreto para construção das centenas de casas novas no pé-da-serra, e nos impede de apreciar a bela vista do urbio). É disso que estou a falar quando afirmo a inutilidade da câmara e a incapacidade da prefeitura de fazer poesia com a cidade.

New_DSCF0406_1

domingo, 29 de junho de 2014

o que está por vir entre 2014-15

A mega loja de departamentos Havan [http://www.havan.com.br/] anunciou sua vinda para Arapiraca em 2015

O hotel Ibis [http://ibishotel.ibis.com/pt/home/index.shtml] abre sua unidade Arapiraca em breve na rua experdicionários brasileiros;

O Cesmac deve começar a construir seu campos em 2015 em Arapiraca;

Vagas para o curso de medicina no campus Ufal de Arapiraca começam em 2015;

O metrô de superfície e o aeroporto estão ainda no patamar das promessas;

A duplicação da AL220 entre Arapiraca e São Miguel está em vias de aprovação para obras em 2015;

Algumas promessas eleitoreiras dão conta de conversas sobre a duplicação da AL110 entre Arapiraca e Penedo;

Um museu de biologia será erguido no Bosque das Arapiracas para ser entregue em 2015;

O Centro de Convenções de Arapiraca será construído no lago da Perucaba com previsão de abertura em 2015-16;

Em outubro a prefeitura deverá inaugurar a segunda etapa de urbanização do lago da Perucaba nas imediações do antigo matadouro e Reserva Perucaba;

quinta-feira, 19 de junho de 2014

perucaba no cenário da nova arapiraca

Já dissemos algumas vezes aqui nos últimos anos do boom imobiliário que a cidade vive há quase uma década. A região do lago da Perucaba está em processo de urbanização total. Todo o seu entorno está tomado por novos empreendimentos. A região era muito degradada e sem nenhuma atenção, até que a cidade fez a primeira intervenção e criou um grande parque à beira do lago, num segundo momento construiu um observatório. Uma rua foi asfaltada levando o lago até a Baixa Grande, aumentando a capacidade de circulação. A paisagem se transformou completamente.

O cenário é de construção e dá para sentir o quanto a região está sendo valorizada (obviamente quem mais ganha é a classe média e alta visto que não são projetos para grupos de baixa renda). De um lugar que a cidade dava as costas para o mais belo cartão postal houve mudança de atitude para com o lago, que continua poluído e impróprio para o banho embora não haja mais fontes de esgotos sendo lá despejados. Alguns estudos, conforme publicamos aqui neste blog, indicam áreas de balneabilidade no lago, sinalizando a sua lenta despoluição (com baixíssima ação publica nesse campo, lamentavelmente). Há uma intervenção pública na região do antigo matadouro, com obras de urbanização da orla que liga-se às Cacimbas e Primavera.

O primeiro grande projeto que saiu do papel e está em construção avançada é o residencial Reserva Perucaba, ao sudoeste do lago. Outro grande projeto imobiliário é o residencial Village Damha, no noroeste do lago. A urbanizadora paulista está junto com o grupo Coringa no investimento. Reportagem na revista Estilo (editada pela Damha) sobre a cidade e o novo empreendimento imobiliário que será anunciado no final do ano (ler páginas 18-19 na revista abaixo).


segunda-feira, 9 de junho de 2014

os pecados de renan filho

publicado originalmente por Ricardo Setti em:

“RENAN CALHEIROS: Benza Deus! Ele mal assumiu, e já aparecem maracutaias promovidas pelo filho deputado — em proveito próprio e do pai

Renan-Filho-Agência-Câmara-440x247
Renan Filho: parecido com o pai não só fisicamente (Foto: Agência Câmara)
Quando a gente acha que chegou num determinado limite, certos políticos conseguem ultrapassá-lo — sempre no pior sentido.
Vejam, no texto abaixo, a quantidade de barbaridades encerradas em poucas linhas — e envolvendo o ilustríssimo sr. deputado federal Renan Filho (PMDB-AL), tão parecido com o pai fisicamente quanto, agora se vê, em matéria de comportamento como homem público, e o excelentíssimo sr. senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado e, consequentemente, do Poder Legislativo brasileiro, o Congresso Nacional.
Meus comentários ao texto vão entre colchetes. Vejam só:
O deputado federal Renan Filho (PMDB-AL) tem usado recursos da verba indenizatória – ou seja, dinheiro público – para pagar a advogados que atuam para ele próprio e o pai, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), recém-eleito para presidir o Senado – em causas privadas. [Esta é a maracutaia número 1.]
Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, escritórios alagoanos que representam a dupla em demandas particulares, nas justiças comum e Trabalhista, já receberam ao menos 190.000 reais do gabinete do parlamentar, na Câmara desde fevereiro de 2011.
Em janeiro, o site de VEJA revelou que Renan Calheiros usa sua verba de gabinete para alugar a sede do PMDB em Alagoas. [Maracutaia número 2. Enquanto vários partidos pagam com seus próprios recursos, Renan lança mão dessa artimanha para que o dinheiro dos nossos impostos resolva o problema da sede do PMDB de Alagoas. É o fim da picada!]
O aluguel é pago ao seu próprio suplente [maracutaia número 3; vejam mais um dos absurdos que envolvem os suplentes de senadores] - que omitiu ser dono do imóvel à Justiça Eleitoral.[maracutaia número 4.]
As verbas indenizatórias são recursos distribuídos aos deputados para custear a atividade parlamentar, como passagens aéreas, telefone, correio e aluguel de escritórios políticos. Os valores variam de 23.000 reais para deputados do DF até 34.200 reais para os de Roraima.
Com sede em Maceió, o escritório Omena Barreto Advogados Associados é contemplado, mensalmente, com 10.000 reais da cota do deputado. Nos registros da Receita Federal, a empresa foi fundada em maio de 2011, mesmo mês em que se iniciaram os repasses do gabinete. [Que coincidência, não? Dá para dizer, sem susto: maracutaia número 5.]
De lá para cá, o valor já pago pela Câmara aos advogados soma 170.000 reais.









sábado, 7 de junho de 2014

movimento arapiraca segura vai às ruas

Aconteceu nesta sexta-feira, 6 de junho, uma passeata organizada pelo Movimento Arapiraca Segura. Trata-se de um movimento apartidário, encabeçado por advogados e empresários da cidade. Não é um movimento social popular, assemelha-se mais aos movimentos burgueses. Apesar de ser na origem um movimento elitista, conquistou muitas pessoas a aderirem a passeata desta sexta, com uma grande manifestação.

Cheguei da manifestação contra a violência na cidade. Acho que a passeata teve êxito: o de levar dois ou três mil pessoas às ruas do centro (alguém sugere outro número?). Mas eu estranhei o desenho e o clima; pareceu-me que 8 de cada 10 que marchavam eram advogados, juizes, marçons, empresários, estudantes de direito. Vi o Quintela Cavalcanti mandar uma ala de estudantes. Também tinha donas de casa e aposentados. Algumas empresas mandaram os funcionários. O comércio praticamente fechou, liberando alguns trabalhadores para a passeata. Muitos jovens da nossa classe média (cheirosa e fina) estavam lá. Não senti clima de luta mas uma passeata formal. Não senti clamor popular, não senti qualquer ligação com movimentos sociais, ao contrário, o peso do evento era a magistratura local, a OAB, o CDL, a PM, os empresários, e acho que a Igreja Católica também entrou. Foi bonita a passeata porém com pouca alma de luta por mudanças.

viol1viol2

O movimento deveria crescer para discutir e entender a violência. Mas quando no carro de som avisaram que era apenas marcha, e que no final no parque Ceci Cunha não haveria falas ou discursos pois "ninguém falaria porque não adianta falar mais" então entendi o esvaziamento da luta por uma formalidade. Essa formalidade parece ficar muito clara no uso de camisetas-padrão para a manifestação, o que pareceu-me uma passeata de fardados, bem distante de um clima de luta. Em algum momento a música que tocava no carro-de-som que acompanhava a passeata dava um certo tom destoante, quero dizer, alegre.

arapseg02

Na passeata vi de camiseta do movimento um dado senhor que no Fora Collor da década de 90, junto com outros homens de bem, espancaram um amigo meu que gritava na mesma praça Marques contra o Collor. Memória é uma coisa gratificante. Daí procurei o povo pobre, moradores dos novos conjuntos habitacionais da cidade, certamente os que mais são atingidos pelos regimes de violência diária mas não estavam na passeata. Não estavam. Era uma passeata sem alma. Era uma passeata da classe média e alta pedindo segurança. Legítima ela é, embora falte-lhe uma proposta mais ampla sobre violência.

arapseg04

A passeata não era do povo das periferias que sofrem a eterna violência (a violência dos assaltos e assassinatos nas esquinas, a violência policial-estatal, a violência da falta de estrutura para viver com decência). O que disse "sem alma" porque enquanto acompanhava fotografando eu ouvia o carro de som falar de "central de inteligência da policia na cidade", "mais policiais", "já falamos com o governador" o que me pareceu essa coisa de passeata formal para receber mais polícia, etc. Claro que devemos nos unir para pedir paz, agora eu fiquei a me perguntar de qual violência a passeata estava a marchar? Isso porque jamais a cidade parou para gritar contra o extermínio de pobres da periferia, aquela juventude invisível que acessam as piores escolas, não tem espaço de lazer, que pegam os piores empregos, que juntam-se ao tráfico, as pequenas gangues, etc... Pensar em violência é questiona-la e tentar entender porque ela cresce. Não basta falar que o governador mandará mais polícia pois a paz da comunidade é uma construção do coletivo não de um pequeno numero de ilustres advogados, empresários e instituições do capital. A paz é possível, cessar o grosso da violência é possível, mas é preciso antes sentar para conversar porque a violência cresceu entre nós. A única saída é entendê-la, não apenas abafá-la com camburões e paracetamol.

arapseg03

Antes da passeata, deveríamos fazer reuniões comunitárias, discussões, entendimentos de impasses. Tem que ser uma agenda das familias, do povo, dos trabalhadores. Um documento que mapearia as violências e as experiências exitosas nessas áreas. Só então faríamos a passeata, com consciência sobre o que estaríamos lutando e aonde desejaríamos chegar. Nesta movimentação parecia claro um movimento burguês do tipo cansei.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

a lua

Fotografei essa lua no inicio desta noite do jardim-quintal da minha casa às margens da AL220. Viver no agreste com essa lua é um dos presentes que Arapiraca nos dá.

lua_davy

segunda-feira, 2 de junho de 2014

o que quer arapiraca?

O AgresteNews é conhecido por ser o mais antigo blog da cidade e possui um dos maiores bancos de fotografias sobre a região. Desde 2005 publicamos a memória imagética que está completando uma década da nossa história. O blog nasceu como uma homenagem à Arapiraca, espaço para pensar a cidade, captar sua essência, observar seu florescer. Hoje pretendo olhar através de quatro janelas diferentes para tentar imprimir numa foto o momento que vive esta cidade.

davy020        O Alto do Cruzeiro e vizinhança é uma das áreas de maior taxa de verticalização

davy021        O tráfego intenso na avenida José Alexandre (AL220 duplicada)

davy022        O velho centro de prédios pobres e de arquitetura amadora começa a se renovar

davy023As cinco torres como ícone do boom imobiliário e processo de verticalização da cidade

sexta-feira, 30 de maio de 2014

a cidade não pára de crescer

Arapiraca acaba de receber mais um novo empreendimento imobiliário lançado pela Premium Imóveis. É o Felicità Residenziale que terá 5 edifícios de seis andares na região do Pátio Shopping. O nome pomposo parece não se encontrar com a arquitetura simples com padrão prédio-caixão que aproveita apartamentos nos andares térreos. O surgimento desses 210 apartamentos a beira da AL-220 só vem corroborar o quanto a cidade tem se apresentado como polo regional. Em Alagoas essa é a década de Arapiraca. Quem viver, verá!

Felicità ResidenzialeFelicità Residenziale1

sábado, 17 de maio de 2014

juiz evangélico agride o candomblé

Tem que proibir magistrado evangélico para a cidadania ser fortalecida? Acho que não, mas a intolerância jurídica, a burrice e a ignorância magistral tem maculado a isonomia das decisões. Tribunais comandados por magistraturas inaptas em ciência e civilidade dá ao direito seu lugar indesejado, a lata de lixo, o lixo da história. Não é preciso lembrar de ciências que se voltaram a estudar o fenômeno religioso ha mais de um século, como a filosofia, a antropologia e a sociologia. E ainda há juiz para negar o estatuto de religião ao povo do candomblé (a ignorância deste propõe religião um vínculo ao surgimento da escrita, como se povos de tradições orais estivessem impedidos de forjar deuses e rituais de veneração religiosa). O juiz evangélico, nesse caso, é uma aberração jurídica e uma violência exemplar. Só há direito grande quando magistrados fazem observar os saberes consensuais não as opiniões dos seus próprios quintais. Vida longa ao Candomblé, aos terreiros, aos filhos, filhas, mães e pais-de-santo! Axé!

terça-feira, 22 de abril de 2014

a prefeitura e seu estilo de cuidar

Lembram do lago cheio e com peixes? e da linda ponte que o atravessava? Obrigado à Prefeitura de Arapiraca pelo belo trabalho de cuidado e manutenção dos nossos parques!

cecic1cecic2

domingo, 29 de dezembro de 2013

guia de cultura e turismo de arapiraca

A Prefeitura produziu um pequeno guia sobre a cidade, com dicas sobre sua história, sobre a cultura local, os pontos turísticos, de lazer e comerciais. O guia ainda é pequeno e preza pela propaganda mais do que a qualidade da descrição dos lugares e eventos. De todo modo é um guia que oferece aos moradores e visitantes uma ferramenta interessante para melhor conhecer a nossa cidade.

Para baixar o guia gratuitamente: http://www.arapiraca.al.gov.br/v3/informativos/949/files/guiaculturaeturismo.pdf

terça-feira, 26 de novembro de 2013

enquanto isso no lago da perucaba

Surgem os primeiros traçados do novo bairro perucaba. Essa nova região promete refundar a nossa paisagem urbana. O empreendimento deve influenciar também na melhoria das condições de infra-estrutura das cacimbas, manoel teles, baixão e cavaco. Ao construir um bairro de classe média alta no sudoeste do lago, a cidade terá que repensar e investir em novas vias, na despoluição do lago, instalação de sistema de transporte coletivo e investimento nas condições de habitabilidade de toda a região.

imagerecorte de fotografia de urbis perucaba empreendimentos

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

iv festival de teatro de arapiraca

image

Dia 01 de dezembro de 2013 – domingo

16h - Uma história de Cordel na Feira do Passarinho (Cia Nega Fulô) Parque Ceci Cunha

A Cantora Careca (Insanos Cia de Teatro) Teatro do Planetário

Dia 03 de dezembro de 2013 - terça-feira 

20h – Vôo Solo (Invisivel Cia de Teatro) Tetro do Planetário

Dia 04 de dezembro de 2013 – quarta-feira

20h – Graciliano, um brasileiro alagoano, memórias de Heloísa (Sua Majestade, o  Circo) Teatro do SESI

Dia 05 de dezembro de 2013 – quinta-feira

20h – Cordel do Amor sem Fim (Cia Maria Dengosa) Teatro do SESI

Dia 07 de dezembro de 2013 – sábado

20h – Miradolina (Grupo Cena Livre) Teatro do Planetário

Dia 08 de dezembro de 2013 – domingo

20h - A Farinhada (Ass Teatral Joana Gajuru) Teatro do Planetário

domingo, 17 de novembro de 2013

sobre a balneabilidade do lago da perucaba

A cidade de Arapiraca possui riachos e lagos. Praticamente nenhum possuiu status de área para banhos e lazer (salvo algumas bicas na RMA). No verão as temperaturas beiram os 39 graus e há poucas opções de banho e lazer públicos, ou melhor, não há. Na maçaranduba e na bananeira há parques aquáticos privados, e com pouco impacto se observarmos a demanda por este tipo de espaço na cidade. Certamente um grande parque aquático de boa estrutura teria como fazer muito fama e presença por aqui, a lacuna não foi preenchida. Em Arapiraca, o maior espaço natural de lazer e com um enorme lago é o complexo do Perucaba, com capacidade de armazenar 4.130.500 m3 de água. Há muito sabemos que o lago é utilizado por banhistas, pescadores e esportistas náuticos, apesar de sua condição de águas muito poluídas. Então a perguta sobre se o lago é poluído ou se há condições de balneabilidade? Imagino o Perucaba vir-a-ser a praia da cidade. Vejamos o que sabemos sobre isso.

A classificação sobre a água própria ou imprópria está definida nos índices de Número Mais Provável (NMP) de Coliformes Termotolerantes (fecais) por 100ml de água (resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional de Meio Ambiente). O estudo “Avaliação da qualidade da água do Lago da Perucaba em Arapiraca-AL para a prática da balneabilidade” de Anderson Silva de Brito (UNEAL) e Rafael Albuquerque Xavier (UFRJ) é um dos poucos a tratar especificamente da questão da balneabilidade do lago da Perucaba. Segundo os autores as taxas de poluição são maiores na área urbana e menores nas áreas rurais do lago. Um dado interessante é saber que o lago foi criado pelo DNOCS com o objetivo de abastecimento d´água mas esse propósito não pode ser alcançado devido as condições geológicas do lugar que salinizaram as águas. Lembram, contudo, que o papel da prefeitura para revitalizar a área é pontual pois incide sobre as condições de habitabilidade mas deixou de lado a belneabilidade: “a revitalização não contempla a recuperação do corpo hídrico, pois centraliza suas obras apenas no desvio de um córrego dos principais esgotos que era lançado no corpo receptor e na melhoria visual da área do seu entorno”. Os autores lembram que no projeto de 2005 da prefeitura havia menção a recuperação do corpo hídrico mas que foi esquecido nos trabalhos iniciais em 2008, quando a cidade observou uma grande mudança na paisagem da região, e que hoje toma uma nova dimenção com a chegada de um enorme bairro planejado na sua orla sudoeste.

pontos vermelhos (poluição) amarelos (niveis médios de balneabilidade)image

image

Em suas conclusões, os autores avisam que apesar de o local já proporcionar lugares de balneabilidade, a taxa de coliformes fecais parece ser ainda um grande impedidor de uso do lago como espaço de lazer e de contato direto entre banhistas e águas. A cidade quer mais do que nunca o status de balneabilidade para o lago mas não há um monitoramento periódico pelos órgãos fiscalizadores responsáveis sobre as condições das águas, impedindo e atrasando seu usufruto coletivo.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

pesca do camarão no lago da perucaba

Arapiraca é pouco conhecida como uma cidade que possui pescadores. O lago da Perucaba, apesar de extremamente poluído, mantém um grupo de pescadores que tiram dele cará e camarão. Visitando a região onde estão construindo um bairro planejado deparei-me com a cena inusitada, pelo menos para a maioria dos moradores, um pescador puxando sua rede com camarões do lago.

pescacamarão